sexta-feira, 12 de março de 2010

OS SINAIS DA MORTE

Existem dois tipos de sinais da morte: distantes e próximos. Para vivenciar os sinais distantes, não é preciso estar enfermo. Eles ocorrem entre seis e três meses antes da morte e são de três tipos: corporais, mentais e sonhados. Não indicam necessariamente que vamos morrer logo mas, se persistirem, é provável que nossa morte seja iminente. Conhecendo-os, saberemos identificar sua ocorrência, e isso servirá para fazer as preparações para nossa vida futura.
Eis alguns sinais corporais distantes: soluçar continuamente ao urinar ou defecar, não ouvir o zumbido interno do ouvido ao tapá-lo; o sangue não voltar com rapidez as unhas quando apertamos ou relaxamos a pressão; não sentir gosto ou cheiro das coisas sem motivo algum; esfriamento do hálito, encolhimento da língua; não ver sombras e formas coloridas ao pressionar o globo ocular no escuro; ter a alucinação de um sol à noite, parar de salivar, não ver os raios de energia fluírem pela coroa da cabeça ao olhar para própria sombra numa manhã de sol.

Eis alguns sinais mentais da morte: mudança do temperamento atual; sem motivo, deixar de gostar da própria casa, de amigos e de outros objetos de apego; sentir tristeza sem razão alguma; perda de força, clareza de nossa sabedoria e inteligência.

Os sinais sonhados, sonhos repetidos de que estamos caindo de uma montanha elevada; viajando nus ou sozinhos através de um deserto rumo ao sul.

E assim um praticante atento pode perceber sua morte, se preparar para ela, vivendo significativamente e morrendo alegremente e então realizar seu canto de cisne: Os cisnes quando percebem que vão morrer, cantam felizes como jamais cantaram , pois percebem a felicidade que vão usufruir na próxima vida.

2 comentários:

  1. Prezado Maurício, estou à procura dos sinais antes que uma pessoa vai morrer. Meu marido faleceu e eu não percebi os sinais, apesar de saber que ele iria morrer. Não sei com exatidão quantos dias, ou meses, vi um ente vestido de preto ao lado da cama, do lado que meu marido dormia. Isso aconteceu durante o sono e penso que saí do corpo (?). Ter visto este ente me deixou muito aflita. Não contei para o meu marido. Mas, daquele dia em diante, todas as vezes que ele ia tomar banho, eu batia na porta e perguntava se ele havia me chamado. Eu sabia que ele iria morrer tomando banho. E morreu desse jeito, às 18:30h. Nesse dia, pela manhã, lembro que ele estava estranho, mais calado que os outros dias. Íamos trabalhar juntos na mesma empresa, e enquanto ele estava colocando a roupa, lembro que ele soltou gases, longos. Isso, me toca muito até hoje, pois eu tb fiquei calada, sem ao menos lhe perguntar se ele estava se sentindo bem. Como ele estava. Nesse dia, quando ele foi tomar banho, à noite, pareceu-me que eu fui impedida de bater na porta e lhe perguntar se ele havia me chamado. Alguns minutos, então, se passaram e fui bater na porta, ele não respondeu, eu abri a porta e o encontrei caído com o chuveiro ligado. Você pode me dizer alguma coisa sobre essa história tão particular? obrigada. meu e-mail: martpros@gmail.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezada, no fundo, no fundo vc já sabe a resposta...quer apenas uma confirmação daquilo que já sabe,A única que acrescentaria é que as mentes de um casal se comunicam mesmo que inconscientemente. Eu tenho ume namorada na Ucrania devido ao fuso horário se ela me escrevesse uma mensagem de madrugada, no horário que ela escrevia eu acordava. Aproveite essa conexão mental com ele e o ajude a ficar cada vez melhor do outro lado, sempre envie-lhe pensamentos que ele espírito de natureza divina e agradeça o tempo que estiveram juntos na Terra.

      Excluir